Apresentação e Edição: Liz Nascimento

`•.¸.•☆*´¯ ✿ •*´¯✿ Por Elizângela Nascimento `•.¸.•*´¯
✿ •*´¯✿ Quem sou eu? `•.¸.•☆¸✿‿.•*´¯ 
Eu sou o fraco e o forte!

Sou o sul e o norte!                  
Eu sou a balança e o peso!

Sou o livre e o preso!              
Eu sou a amargura e a doçura!

Sou a sanidade e a loucura!                   

 

Eu sou a vida e a morte!

Sou o azar e a sorte!

 

Deveras sou eu duas faces de mim mesma.

Assim como a noite e o dia!

O remanso e a ventania!      
`•.¸.•☆¸✿‿ •*´¯✿     Liz ´¯ ✿ •*´¯✿


~ Soneto 18 ~

Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Às vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.

William Shakespeare